Brasileira melhora seu recorde sul-americano no disco

Andressa Morais (BRA) competing the Discus Throw during the IAAF World Challenge, GP Brasil Caixa de Atletismo at Athletics National Development Center, on July 08, 2018 in Bragança Paulista, São Paulo, Brazil. Photo: Ricardo Bufolin / CBAt
Uma das atletas que mais comemoram o resultado no Grande Prêmio Brasil Caixa foi Andressa Oliveira de Morais. Ela não apenas ganhou o lançamento do disco, como bateu o próprio recorde sul-americano. O evento foi disputado domingo (08), no Estádio do Centro Nacional de Desenvolvimento do Atletismo (CNDA), em Bragança Paulista, a 88 km de São Paulo (SP).
Ela não apenas ganhou o lançamento do disco, como bateu o próprio recorde sul-americano. Andressa marcou 65,10 m, enquanto que o recorde anterior era 64,68 m. A segunda colocada foi a também brasileira Fernanda Martins, que 62,15 m.
“Estou feliz por demais, desde 2015 queria passar a barreira dos 65 m, finalmente aconteceu”, disse Andressa. “Este ano, tenho obtido algumas conquistas, como participar da Liga Diamante, inclusive vou competir na etapa de Londres”, completou.
No arremesso do peso, Darlan Romani ficou em segundo lugar, mas voltou a superar os 21 m. Ele marcou 21,48 m e ficou atrás do norte-americano Curtis Jensen, que fez 21,63 m. “Foi meu recorde pessoal e estou entre os top 10 do mundo”, festejou Curtis. Darlan também ficou satisfeito: “Foi um bom resultado, gostei de competir aqui”, afirmou o arremessador, que mora em Bragança Paulista.
Duas das provas mais esperadas do meeting tiveram vitórias de brasileiros: os 100 m masculino e feminino. Entre as mulheres, ganhou Vitória Rosa com 11.14. Embora não repetisse sua melhor marca (11.03), ela venceu adversárias importantes, como a norte-americana Barbara Pierre.
No masculino, ganhou Paulo André de Oliveira com 10.14. Ele deixou em segundo lugar, com 10.16, o representante de Antígua y Barbuda, Cejhai Greene, que marcou 10.16.

O campeão olímpico do lançamento do martelo, Dilshod Nazarov, do Tadjiquistão, confirmou o favoritismo. Medalha de ouro nos Jogos do Rio 2016, Nazarov marcou 75,18 m. O tadjique deixou em segundo lugar Serghei Marghiev, da Moldávia, que fez 74,51 m, e Pavel Bareisha, da Belarus, terceiro com 73,28 m. O melhor brasileiro foi Wagner Domingos, quarto com 72,71 m.
“Gosto do Brasil”, disse Nazarov, depois da prova. O atleta, que veio pela sexta vez ao País, ficou feliz com o desempenho. “Não foi mal, mas pretendo fazer melhor proximamente”, afirmou o lançador que já marcou 80,71 m.
O outro campeão olímpico do GP, Thiago Braz da Silva, ficou em terceiro lugar no salto com vara, com 5,40 m. O campeão foi o norte-americano Cole Walsh, com 5,60 m, seguido do brasileiro Augusto Dutra, com 5,50 m. “Não gostei do resultado”, disse o brasileiro, que compete na etapa de Rabat, no Marrocos, na sexta-feira (13). “Estou pela primeira vez no Brasil e adorei o País. A competição foi excelente. A temperatura, o clima e o vento ajudaram”, festejou Cole Wash.Nos 400 m com barreiras, dois brasileiros subiram ao pódio:
Marcio Teles, campeão com 49.22, e Mikael de Jesus, terceiro com 50.20. O segundo lugar foi para David Kendziera, dos Estados Unidos, com 49.31. “Quero correr abaixo de 49 segundos este ano novamente”, afirmou Marcio. Também merece destaque o velocista de Granada Bralon Taplin, que venceu os 400 m com 44.67.
O GP Brasil faz parte do IAAF World Challenge e do Circuito Mundial de Lançamento do Martelo. Participaram do GP Brasil 121 atletas (68 homens e 53 mulheres), 61 do Brasil e 60 representando outros 27 países. (Da CBAt)

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*