Dica para quanto tiver um tempinho Filme: Maldito Futebol Clube

Imagem: Reprodução/YouTube

Há dez anos foi lançado Maldito Futebol Clube, ou The Damned United. Filme britânico baseado em livro de mesmo nome, escrito por David Pierce. E, novamente no estilo Atrasado, Eu tô um pouco sim, Tô, eu acho, vi o filme somente agora, em 2019. “Assiste aí, depois você me fala”, falou o companheiro de profissão ao passar o DVD. Certeza, já deve estar nas internet da vida. Afinal, dez anos nos tempos de agora, para muitos, é muito.

Fato é que ainda demorei uns meses para conferir a história de Brian Clough, técnico cujo personagem interpretado por Michal Sheen ( o Frost de Frost/Nixon) é o ponto central do filme. Devia ter assistido antes porque merecia. O resultado final é muito bom.

Resumidamente, os 98 minutos, nove a mais do que a duração normal de um jogo de futebol (sem contar, óbvio, com VAR e intervalo e os cavalos), narram menos de dois meses do ano de 1974 ou 75 do treinador que assume o Leeds, time que acabara de ser campeão de tudo na terra da Rainha, com um futebol digamos, nível Libertadores-raiz-das-antigas-em-que-a-porrada-rolava-solta. E um elenco muito fiel ao ex-técnico do clube, que aceitara treinar a seleção da Inglaterra, o Don Revie. Por quem, Clough nutria muita admiração.

Sabe aqueles caras com ar de sabe tudo, ego maior do que juiz, e fora de campo, com discurso pior do que muito presidente? Então, Brian Clough, no pior dos seus cenários, foi mais ou menos assim. Veio de um time menor, se lambuzou ao ver a grana e o tamanho da fama adquirida, e esqueceu de coisas que ratificam o bordão “é muito mais do que futebol”. A diferença é que… bom, veja ou reveja o longa-metragem.

Esportividade à parte, o filme é bem dirigido. O enquadramento, fotografia, a ambientação alusiva à década de 1970 são muito bacanas. “O diretor trouxe todo mundo do Harry Potter”, disse algo assim a patroa, com conhecimento de causa de quem entende de Hogwarts e companhia. Até porque Timothy Spall, o (ratinho do Rony), vai muito bem como uma espécie de diretor de futebol/auxiliar técnico. O presidente do Derby Count, clube em que Clough foi revelado, é interpretado por Jim Broadbent, o professor Horácio Slughorn. Mas, aviso: tem (quase) nada de fantasia em Maldito FC.

Por várias vezes fiquei a pensar enquanto o filme rolava, como em 30, 40 anos, o campeonato nacional deles evoluiu em termos de organização e tecnicamente. Atualmente, é o mais visto no mundo, em relação aos de outros países como Alemanha, Itália, ou Espanha, mais competitivo, em que estão técnicos como Guardiola, no Manchester City, e Klopp, do Liverpool. Enquanto isso por aqui, o importante é fazer selfie com gente que nem entende o que é ser torcedor trocar de camisa como escolhesse laranjas.

Mesmo se você não curte futebol, vale a pena.  O filme do diretor Tom Hooper, oscar de melhor direção por O Discurso do Rei, e que dirigiu também A Garota Dinamarquesa, é um belo gol. Em vários sentidos.

É isso aí.  O que me diz?

Abraço.

Segue o trailer do Maldito https://www.youtube.com/watch?v=YbgE7YjcjEw

Apoie financeiramente o nosso trabalho.  Contate a gente pelo fone/whats (67) 9.8109-5459 ou e-mail contato@soporesportes.com.br

Muito obrigado. Mesmo

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*