Hamilton define como ‘milagre’ a vitória na Alemanha

Lewis Hamilton saiu da 14ª colocação para o lugar mais alto do pódio, neste domingo (22), no Grande Prêmio da Alemanha. “Um milagre”, definiu o piloto da Mercedes. Mas quase teve paradoxo: a mesma batida que deu a liderança no GP ao atual número um do mundo – sofrida por Sebastian Vettel – também quase o tirou do posto. Mas, no final, ele manteve o melhor tempo e a vitória.

Isso porque o britânico foi investigado por ter cruzado a grama na entrada dos boxes e retornado à pista enquanto o Safety Car estava em ação. A FIA, entretanto, entende que reprimir o atleta seria a punição mais apropriada e, por isso, não deu a ele nenhuma penalidade de tempo.

Para chegar a conclusão, os comissários levaram em consideração o fato de que a equipe admitiu o erro e que havia confusão entre o grupo, se ele poderia continuar ou não. Além disso, a infração aconteceu durante o período de Safety Car e não colocou outro concorrente em perigo, já que a mudança de direção foi feita de maneira segura.

“Sinto que a chuva veio e levou com ela toda negatividade”, comemorou o atual detentor do título da F-1. “Por isso eu disse que o amor tudo pode. É um dia glorioso. Não poderia ser melhor para mim. Um sonho que eu vou sempre lembrar”.

Com sua vitória, Hamilton agora lidera com 188 pontos, 17 a mais do que Vettel, que liderou a corrida até sair da pista e bater seu carro na volta 51, a 16 do fim da prova. Kimi Raikkonen, que foi o terceiro na Alemanha, soma 131, e Valtteri Botas, que chegou em segundo neste domingo, é o quarto com 122.  (Da Gazeta Esportiva, com LKS)

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*